Licenças renovadas: software em segunda mão para poupar dinheiro

Vignette
Escrito por charon
Data de publicação : {{ dayjs(1657704825*1000).local().format("L").toString()}}
Este artigo é uma tradução automática

Comprar uma licença de segunda mão pode ser uma oportunidade para poupar dinheiro e obter acesso rápido a um catálogo de software.

Da mesma forma que existe hardware em segunda mão, é possível comprar software em segunda mão através de licenças reemitidas e beneficiar de poupanças substanciais.

Estas licenças podem vir de empresas que já não precisam delas e vendê-las em massa, que são recolhidas pelos prestadores de serviços e colocadas de novo em uso.

Os preços dependem das tarifas iniciais negociadas e do volume de licenças, permitindo grandes descontos na maioria dos tipos de software, desde ferramentas de produtividade a sistemas operativos e aplicações de servidor.

Por exemplo, é possível encontrar uma chave Windows 10 Pro por um custo muito baixo em comparação com uma versão original.

Reutilização de licenças não utilizadas

Desde 2012, a legislação tem permitido a compra e venda de licenças em segunda mão com garantias e normas a serem respeitadas. Para as empresas, isto pode proporcionar a oportunidade de revender licenças de software em excesso.

É o caso, por exemplo, quando se muda para o Office 365 e as suas ferramentas baseadas na nuvem. As licenças para software instalado localmente podem então ser revendidas como licenças em excesso.

Outra vantagem é a rapidez de implementação, com software que pode ser utilizado assim que a chave de activação é recebida.

Para evitar surpresas desagradáveis, é melhor passar por especialistas em reembalagem que possam atestar a autenticidade da licença adquirida e fornecer conselhos sobre o quadro legal e até mesmo sobre o funcionamento do próprio software.